Sábado, 20 de
Julho de 2024
Geral

Pânico

Mulher agredida por policial penal e amigo descreve momentos de pânico: 'Achei que ia morrer'

Mulher disse que policial chegou a colocar a arma no rosto dela e atirar, mas que a arma teria falhado

Foto: Reprodução/TV Anhanguera
post
Mulher conta detalhes sobre agressão sofrida na porta de distribuidora de Senador Canedo — Goiás

13 junho, 2024

A mulher que foi agredida por um policial penal e pelo amigo dele na porta de uma distribuidora de Senador Canedo, na Região Metropolitana da capital, contou detalhes sobre os momentos de pânico que vivenciou durante as agressões. Ela explicou que as agressões ocorreram depois de ela rejeitar os dois homens. Além disso, disse que o policial chegou a colocar a arma no rosto dela e a atirar, mas que a arma teria falhado. “Fiquei com medo. Na hora ali eu achei que ia morrer”, desabafou a mulher à TV Anhanguera. “Colocou a arma no meu rosto. Puxei meu braço assim, empurrei a arma. Ele foi e atirou. Se eu não tivesse reagido, de ter empurrado o braço dele, eu creio que sim, tinha atirado no meu rosto”, completou a mulher. A defesa do agente Eiryan Valcley de Jesus Valadão , representada pelo advogado Jamerson Justo, disse que não dará declarações detalhadas até que tenha acesso aos autos do processo. Além disso, disse que, assim que a defesa tomou conhecimento dos fatos, "o policial penal prontamente se apresentou, entregando-se para prestar todos os esclarecimentos necessários". Já a defesa de Marcos Vinícius Souza Mesquista disse que ele pediu desculpas e está a disposição da Justiça para esclarecer os fatos. Além disso, a advogada Tatiany Alzira, que representa Marcos, afirmou que ele está “bastante abalado em crises depressivas, sob efeitos de calmantes, uma vez que nunca cometeu qualquer ato ilícito”. Em nota, a Diretoria-Geral de Polícia Penal (DGPP) informou que o policial Eiryan estava de folga na ocasião das agressões e que abriu um procedimento administrativo para apurar o caso.

Agressões
O caso aconteceu na madrugada de terça-feira (11/6) quando a mulher foi até a distribuidora para comprar algumas bebidas. Posteriormente, o policial se apresentou à delegacia e acabou preso. O vídeo registrado por câmeras de segurança mostra quando o policial penal Eiryan Valadão bebe e conversa com o amigo e uma outra pessoa na porta da distribuidora de bebidas. Na ocasião, o amigo pede ao policial que empreste a arma para que ele possa dar um tiro. Em resposta, o policial questiona o amigo e diz que já paga R$ 16,5 mil para “se livrar de duas tentativas de homicídio”. Mas em seguida, o próprio policial saca a arma, atira para cima e a empresta ao colega. Policial penal Eiryan Valadão e momento em que ele e o amigo agridem mulher na porta de distribuidora, em Senador Canedo -  Goiás.  Pouco depois a mulher chega no estabelecimento. Neste momento ela já é abordada pelo policial, que pede para que ela os convide para ir a uma festa. Durante a filmagem, a mulher nega os pedidos do policial e fica olhando para o celular. Ao pegar a bebida no balcão, a mulher é vista tentando ir embora, mas é barrada pelos dois homens. Em seguida, iniciam-se as agressões. O policial é filmado tirando a arma da cintura e a utilizando para ameaçar a mulher. Ela é agredida com chutes e socos. Durante as agressões, a mulher chega a pedir calma aos homens.

Nota da DGPP na íntegra:
“A Diretoria-Geral de Polícia Penal informa:

O Servidor mencionado encontrava - se em seu período de folga. Entretanto, a instituição ao tomar conhecimento do fato pela Polícia Civil de Goiás, imediatamente instaurou Procedimentos Administrativo Disciplina (PAD) por meio da sua corregedoria, para apurar o fato. O cumprimento do mandado de prisão ocorreu após a apresentação do servidor, de forma voluntária, a Delegacia de Polícia Civil. Ação realizada com base na Portaria nº0335 de 25 de abril de 2023. Ato que foi acompanhado pela corregedoria da polícia penal na data de ontem. O servidor que executa suas atividades no Grupo Tático de Ações e Escoltas está recolhido na Unidade de Custódia Especial Marco Aurélio Rodrigues. A instituição reitera que não coaduna com qualquer conduta que vá contra a integridade física e moral de qualquer pessoa, bem como, esteja desalinhada com a obrigação funcional do servidor público de atuar sempre com respeito às leis.”

Nota da defesa do policial Eiryan Valadão:
"Em virtude dos recentes acontecimentos, informamos que, neste momento, não faremos declarações detalhadas até que tenhamos pleno conhecimento dos fatos e acesso completo aos autos do processo. Reiteramos nosso compromisso com a transparência e a verdade. Gostaríamos de esclarecer que, assim que tomou conhecimento dos fatos, o policial penal prontamente se apresentou e não se furtou da justiça, entregando-se para prestar todos os esclarecimentos necessários ao Judiciário. Sobre a prisão, a defesa entende que não preenche os requisitos da prisão em flagrante, pois o acusado se apresentou espontaneamente. Agradecemos pela compreensão e pedimos que aguardem novas informações. Manteremos a imprensa e o público informados assim que tivermos mais detalhes a compartilhar.

Atenciosamente,
Jamerson Justo - OAB GO n. 52236."

Nota da defesa de Marcos Vinícius na íntegra:

"A defesa de Marcos vem informar, que o mesmo e réu primário, sendo este um caso isolado em sua trajetória de 30 anos de vida. Que o mesmo está a disposição da justiça, para prestar todos esclarecimentos necessários para elucidar os fatos da filmagem. Meu cliente está bastante abalado em crises depressivas, sob efeitos de calmantes, uma vez que nunca cometeu qualquer ato ilícito, nos seus longos anos de vida, que sempre foram pautados por muito trabalho de uma vida honesta. Me solicitou que pedisse em seu nome uma desculpa coletiva, e principalmente a vítima.

Atenciosamente
Advogada Criminal Tatiany Alzira"