Domingo, 14 de Agosto de 2022
Direito & Justiça

Racismo

MPE abre investigação após fala racista de vereador que chamou colega de 'negro de alma branca'

Discurso de Marcos Duarte (SD) sobre o colega Alcivan José (PP) gerou revolta nas redes sociais

Foto: Reprodução
post
Vereador Marcio Duarte fez falas racistas em discurso

23 junho, 2022

Com a repercussão sobre a fala do presidente eleito da Câmara Municipal de Araguaína (TO), Marcos Duarte (SD), que chamou o vereador Alcivan José (PP) de 'negro de alma branca', o Ministério Público Estadual (MPTO) abriu um procedimento para apurar o caso como incitação ao racismo. A fala aconteceu durante discurso de agradecimento pela vitória na eleição que ocorreu na segunda-feira (20). Durante o discurso, Marcos Duarte também se referiu ao colega parlamentar, que o apoiou durante a disputa e foi eleito como primeiro secretário, como "um negro bom". A 6ª Promotoria de Justiça de Araguaína afirmou que requisitou à Câmara Municipal a cópia integral da gravação das sessões legislativas. Segundo o MPE, Marcos Duarte foi notificado para apresentar defesa no prazo de 15 dias. O vereador afirmou, em nota, que ainda não foi notificado sobre a investigação do Ministério Público, mas assim que ocorrer a notificação, "prestará os devidos esclarecimentos ao MPTO". A Câmara Municipal de Araguaína, em nota assinada pelo atual presidente, o vereador Gideon Soares, informou que não apoia "qualquer tipo de manifestação preconceituosa, sob qualquer forma ou aspecto, e que a fala individual de um vereador, repercutida na mídia e redes sociais, não representa a posição adotada por esta Presidência ou pelo Poder Legislativo Municipal". O g1 pediu posicionamento da Câmara de Vereadores de Araguaína sobre uma possível investigação na comissão de ética, mas não houve resposta.

Racismo estrutural
Após a fala de Duarte, que viralizou nas redes sociais e causou revolta. Nesta terça-feira (21), durante sessão na Câmara de Vereadores, o vereador Alcivan José considerou o episódio racista e lamentável. "Se caracterizou como uma prática preconceituosa e a naturalização dessas ações, hábitos, situações, falas e pensamentos infelizmente fazem parte do nosso cotidiano que promovem direta ou indiretamente o preconceito racial", disse Alcivan também na tribuna. Ele destacou ainda que expressões como "negro de alma branca" ou mesmo "serviço de preto" têm o "objetivo de diminuir o negro e sua importância social", e fazem parte do racismo estrutural.

Pedido de desculpas
Também na terça-feira (21/6) o presidente eleito para comandar a Casa de Leis no biênio 2023/2024 disse que se referia 'à pureza de alma do colega' e criticou a repercussão de suas declarações. "Aos cidadãos que estão em casa, peço desculpas e continuamos juntos, mas em particular eu posso continuar chamando o Alcivan de, né. Ele é um amigo pessoal e ele sabe que não teve cunho racista [...]. O soldado Alcivan, ratificando, ele é um bom amigo", declarou.