Sábado, 15 de
Junho de 2024
Cultura

Condenação

Daniel Alves é condenado a quatro anos e meio de prisão

Alves também deverá cumprir outros cinco anos de liberdade vigiada

Foto: Divulgação
post
Daniel Alves ficará preso por quatro anos e meio

22 fevereiro, 2024

O ex-jogador Daniel Alves foi sentenciado e condenado a 4 anos e meio de prisão. Isso se deu em virtude do estupro uma mulher de 23 anos no banheiro de uma boate espanhola, em dezembro de 2022. De acordo com o jornal La Vanguardia, o tribunal de Barcelona, responsável pelo caso, considerou ter ficado comprovado que a vítima não consentiu com a relação sexual Segundo o tribunal, para além do depoimento da vítima, há elementos de provas que atestaram a violação sexual. Alves também deverá cumprir outros cinco anos de liberdade vigiada e se manter afastado e sem se comunicar com a vítima até essa última data, ou seja, por nove anos e meio. Desse modo, o tribunal ainda definiu uma indenização de € 150 mil (cerca de R$ 800 mil). Da pena, deverão ser descontados os 13 meses que o brasileiro esteve preso, enquanto aguardava o julgamento.

Imprensa mundial repercute a condenação de Daniel Alves
Veículos de imprensa de todo o mundo deram destaque o veredito do Tribunal de Justiça da Espanha, dado na manhã desta quinta-feira, 22 de fevereiro, em Barcelona ( Espanha). Como título “Julgamento de Dani Alves: o ex-jogador brasileiro condenado a 4 anos e meio de prisão por estupro”, o jornal francês “Le Parisien” comentou. Na publicação, o texto classifica o ato como punição “pesada”. Já o “L’Equipé”, também da França, trouxe em destaque a condenação do ex-jogador e deu detalhes sobre o julgamento, incluindo também como Daniel Alves se sentia. “Os juízes consideraram que a vítima não consentiu e que existem provas, além do depoimento do denunciante, que permitem considerar provada a violação”, destacou o jornal.

Daniel Alves diz que ‘perdoa vítima e está tranquilo’

Declarações do primo de Daniel Alves também foram destaque: “O antigo lateral terá ainda de pagar 150 mil euros à vítima, que “já não dorme, toma medicação e agora quase não sai de casa”. No The Guardian, outro destaque:  “Tribunal de Barcelona considera ex-jogador brasileiro culpado de agredir sexualmente uma jovem em uma boate em 2022”, diz trecho.

Relembre o caso
No dia 30 de dezembro de2022, na discoteca Sutton, em Barcelona, teria ocorrido o estupro. Contudo, a suposta vítima denunciou o jogador dois dias depois. Ela dançava com amigos e Alves a abordou.

Advogado largou a defesa de Daniel Alves. Relembre!

De acordo com o depoimento da moça, o lateral se apresentou como um homem chamado “Dani” e que “jogava petanca no Hospitalet, município da Espanha”. No entanto, os amigos mexicanos da vítima teriam reconhecido o jogador. Em seguida, o brasileiro teria ficado atrás da vítima, falando em português, até o momento em que agarrou a mão dela com força e levado até seu pênis, o que teria se repetido duas vezes diante da resistência da mulher. Após a primeira abordagem, o jogador teria levado a mulher até o banheiro durante 15 minutos e a impedido de sair. No local, Daniel Alves teria sentado no vaso sanitário, puxando o vestido da mulher para cima, e a obrigado a sentar sobre ele, proferindo expressões ofensivas. Na sequência, o atleta teria tentado forçá-la a praticar sexo oral. Diante da resistência, Daniel teria batido na vítima e a colocado no chão para, novamente, forçar uma relação sexual. De acordo com o depoimento da mulher, Alves disse para ela esperar para sair depois que ele deixasse o local.