Domingo, 19 de
Maio de 2024
Brasil

Mobilização

No Rio, Bolsonaro chama Lula de "apoiador de ditaduras" e elogia Musk

"Eles fizeram voltar à cena do crime o maior ladão da história do Brasil. Um apoiador de ditaduras. O que eles querem é a ditadura, com o controle social da mídia", começou Bolsonaro.

Reprodução/X
post
Ex-presidente Jair Bolsonaro (PL-RJ) no Rio de Janeiro

21 abril, 2024

Em seu discurso durante a manifestação de apoiadores na manhã deste domingo (21/4) em Copacabana, na zona Sul do Rio de Janeiro, o ex- presidente Jair Bolsonaro (PL-RJ)  criticou o e presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a quem chamou de 'apoiador de ditaduras'. Além disso, o ex-mandatário e rasgou elogios ao bilionário Elon Musk, que teve conflitos recentes com o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), outro desafeto dos bolsonaristas. Vários aliados do ex-presidente participaram do evento, assim como governadores e sua esposa, Michelle Bolsonaro.

Discurso de Bolsonaro
Em seu discurso, o ex-presidente atacou o presidente Lula e defendeu o bilionário Elon Musk. Ele também fez críticas ao inquérito do qual é alvo, que investiga uma suposta tentativa de golpe de Estado, e as duas condenações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),que o tornaram inelegível. "Eles fizeram voltar à cena do crime o maior ladão da história do Brasil. Um apoiador de ditaduras. O que eles querem é a ditadura, com o controle social da mídia", começou Bolsonaro. "Acusam agora o homem mais rico do mundo, que é dono de uma plataforma cujo objetivo é fazer com que o mundo todo seja livre, que é o X, o nosso antigo Twitter. É um homem que preserva pela liberdade para todos nós, que teve coragem de mostrar com todas as provas para onde nossa democracia estava indo", disse sobre Musk. "Não vamos falar de fraude, vamos considerar 2022 coisa passada, mas quando meu partido questiona dentro da lei, é multado em R$ 22 milhões. O TSE me torna inelegível porque eu sim me reuni com embaixadores, eu não me reuni com traficantes no Complexo do Alemão. Eu não coloquei do meu lado a dama do tráfico do Amazonas no ministério", falou Bolsonaro.

Malafaia ataca Alexandre de Moraes
As falas mais diretas do evento foram as do seu organizador, o pastor Silas Malafaia. Ele atacou diretamente o presidente e Alexandre de Moraes. Além disso, ele negou a existência de uma minuta de golpe, documento que a Polícia Federal encontrou em uma das operações da investigação sobre a tentativa de golpe. "A minuta de golpe é a maior fake news. Bolsonaro não propôs golpe de Estado. Alexandre de Moraes, quem te colocou como sensor da democracia? Quem é você para dizer o que um brasileiro pode ou não falar? Todo ditador tem um modus operandi. Prende alguns para colocar medo nos outros. Alexandre de Moraes é uma ameaça à democracia. Não vim aqui atacar o STF, mas pergunto. A maioria dos ministros do STF não concordam com o Moares e não podem se calar. Ele está jogando o STF na lata do lixo da moralidade", disse. "E o senhor presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, frouxo, covarde e omisso. Vai ser acusado de prevaricação", disse em seu discurso.